Chorume

Foto: DeOlhoNoLixo

O chorume é formado quando líquidos passam através de resíduos sólidos depositados no solo desprotegido. Podem ser provenientes de chuva ou mesmo do próprio lixo. Enquanto o líquido escorre entre os resíduos e entulhos, componentes orgânicos e inorgânicos como metais pesados, por exemplo, são transportados e absorvidos pelo solo. Todo esse material vai se acumulando e inviabilizando a reutilização do solo e envenenando lençóis freáticos que ali possam existir.

A quantidade de chorume produzida está diretamente relacionada ao volume de chuvas na região. A quantidade de resíduos líquidos depositada no lixão também afeta a quantidade de chorume produzida. Portanto, quanto maior o lixão maior o volume de chorume produzido e maiores os danos ao meio ambiente.

O lixão da Estrutural produz em torno de 4 mil toneladas de lixo por dia. Estima – se que serão necessários 15 anos para a recuperação total do solo naquela área.

Ouça a entrevista com o administrador do Lixão da Estrutural, João Alves da Silva.

Clique em ENTREVISTA _JOÃO_ALVES.mp3

A forma como a área é preparada determina se o chorume vai ou não ser um agente poluidor do solo e de mananciais.

Em lixões, detritos são depositados diretamente no solo e ficam expostos sem nada que impeça danos ao meio ambiente com implicações ambientais e sociais negativas.

Em aterros, o solo recebe uma manta de argila, grama e impermeabilizante que capta o chorume e gases e protege da ação da chuva. Essa manta impede o vazamento do chorume e só há contaminação em caso de rompimento desta camada, o que é raro. Os aterros contam com a cobertura diária do lixo, evitando a proliferação de vetores (animais ou insetos), mau cheiro e poluição visual.

Aterros & Lixões

Reciclando o chorume

O chorume pode ser coletado na base do aterro por meio de dutos e reinserido no topo da massa de resíduos circulando inúmeras vezes aumentando a velocidade de decomposição do lixo. O chorume pode também pode ser bombeado para fora do aterro para tanques de estocagem ou diretamente para as áreas de tratamento e reciclagem de chorume. Já existem aterros nos Estados Unidos e Europa que utilizam este processo, como o aterro sanitário de Dunbar, Escócia.

Uma possível reciclagem do chorume depende de alguns fatores cruciais como a composição do chorume que pode ser determinada em laboratório, a quantidade de chorume produzida no aterro.

Chorume é uma substância residual potencialmente perigosa. Se não for corretamente manejada,  pode causar poluição de lençóis freáticos, problemas de saúde e efeitos negativos para o meio ambiente.

About these ads
Esse post foi publicado em O que é? e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Chorume

  1. LUCAS MENDES disse:

    É MUITO TRISTE QUE EM MEIO A CAPITAL FEDERAL TEMOS PROBLEMAS COMO ESSE, E PIOR, TEM GOVERNADOR DANDO CASA CONSTRUIDA PRA “NEGO” MORAR, VOTEM NO RORIZ É ISSO QUE DÁ…

  2. Ana Carolina disse:

    Eu acredito que o maior problema do lixão vem desde da sua instalação no local na década de 60. Simplesmente todo o lixo da capital vem sendo jogado na área sem o menor cuidado com o ambiente. Em um país como nosso, e sendo a capital federal, já deveria existir há muito tempo um aterro sanitário. Segundo previsto pela Seduma, ano que vem Brasília ganhará um aterro sanitário de tecnologia. Vamos ver se vai rolar mesmo. O projeto é muito bom. Parabéns as autoras pela matéria. Gostei do blog.
    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s